.12 de agosto de 2017

Caetés - Graciliano Ramos



Publicado em 1933, Caetés é o romance de estreia de Graciliano Ramos e conta, em primeira pessoa, a história de João Valério, um rapaz que trabalha no comércio do velho Adrião e é apaixonado por Luísa, a esposa deste. 
A obra mostra um panorama de uma cidade pacata do nordeste brasileiro e fala a respeito das pessoas que vivem ali: alcoviteiras, boêmios, desocupados, trabalhadores, carolas, espíritas, enfim, são muitas pessoas distintas ligadas pelos mesmos costumes. 
Para Valério, nenhuma dessas pessoas presta a não ser Luísa, sua "grande paixão". Após uma viagem do patrão, o narrador consegue conquistar a moça  eles tornam-se amantes, mas quando Adrião volta, a situação começa a ficar tensa... Antes, até, o narrador já dava mostras de estar entediado com a situação e temeroso por Luísa que pretendia abandonar o marido para ficar com ele. 
Além disso, ao longo de toda a narrativa, Valério está escrevendo um romance chamado "Caeté", mas ele não dá verdadeira importância ao texto e está sempre arranjando pretextos para não concluí-lo. 

Caeté é o nome de uma tribo indígena tupi-guarani que viveu no litoral do país, mais precisamente no Nordeste, também é o nome de algumas cidades e rios do Brasil. 

Esse livro não foi muito bem recebido pela crítica da época, porém alguns autores, como meu querido Jorge Amado, defenderam esse primeiro trabalho de Ramos. Sabendo disso, é compreensível que haja vários textos desses autores no posfácio, só que é um pouco decepcionante porque o livro mesmo tem menos de 200 páginas e o restante são textos de outros falando a respeito da história, algo que não gostei muito. 
Então é isso, gente, essa foi uma leitura um tanto quanto abrupta e monótoma até. Não me interessei por João Valério, mas, de fato, a única personagem digna de nota é Luísa, uma mulher verdadeiramente instigante. 

5 comentários:

  1. Oii Andrea, sei muito bem como é isso quando os tem milhares de páginas difamando as opiniões, mas que seria bom era mais história, por ser curta me desanimou,ainda mais sendo do graciliano, esse eu não conhecia, mas pularei a dica, acho que não iria me agradar muito.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Mulher traindo o marido? Tá na cara que não ia agradar em nada as pessoas da época. Não conhecia este trabalho do Graciliano Ramos, mas vou anotar, quem sabe leia mais para frente...
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Confesso que sou um tanto leiga quando se trata de Graciliano Ramos, li apenas Vidas Secas e achei incrível a riqueza de detalhes que ele traz sobre o sertão nordestino em sua obra, porém em alguns momentos a leitura se arrastou bastante, acredito que este tenha uma estrutura similar. Luisa realmente parece ser instigante, vou anotar a dica aqui e quem sabe em um momento mais oportuno eu realize a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, não conhecia a obra e achei bacana vc ter trazido ela ao nosso conhecimento. Mesmo que não tenha sido bem aceita, acho que é uma obra válida e merece a leitura. Uma pena que tenha sido pouco desenvolvida. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Não conhecia esse livro do Graciliano, e realmente não gosto muito da escrita dele.
    Triste quando um livro nos chama atenção mas no fim gostamos um personagem só e as vezes nem isso. Achei importante apresentar o que encontramos no livro.
    Dessa vez passo a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger