.30 de junho de 2018

Harry Potter e A Pedra Filosofal


     Harry Potter fez parte de minha infância e adolescência. Trouxe-me um universo mágico e incrível, além de abrir as portas para que eu começasse a ler romances e não mais aqueles textos adaptados da infância... 
Na época de minhas primeiras leituras dos livros de J.K. Rowling, eu não tinha blog ainda, na verdade, não tinha nem computador! E não tinha também o costume de escrever sobre o que lia por isso não há resenhas sobre a série Harry Potter aqui. 
Doze anos passaram e, finalmente, pude reler A Pedra Filosofal e vou escrever minha opinião após essa segunda leitura. Antes,  preciso dizer que isso só foi possível porque o Samuel me deu o box lindo, lindo todo ilustrado, meu sonho! Muito obrigada!!


Continuando... Nossa história começa na Rua dos Alfeneiros, 04. Após a morte trágica de seus pais pelas mãos do bruxo das trevas Voldemort, Harry Potter, um bebê, precisa ficar na casa dos tios totalmente avessos à magia e a ele também em consequência disso. Durante onze longos anos de sua infância, Harry sofreu muitos maus-tratos desses parentes, até que, algumas semanas antes de completar onze anos recebe a nossa tão sonhada (para ele desconhecida) carta de Hogwarts e tudo muda em sua vida.


Ao ter conhecimento do mundo bruxo, Harry descobre também ser famoso por ter sobrevivido ao ataque de lorde Voldemort. Mas, o mais importante foi ter a oportunidade de viver uma vida de verdade, fazer amigos e sentir-se incluso e bom em alguma coisa.


Na escola, ele conhece Rony Weasley e Hermione Granger, que serão seus melhores amigos e companheiros de aventuras, além de outras pessoas de sua casa, porque Hogwarts é um colégio interno dividido em quatro casas, cada uma com características e valores diferentes; Torna-se jogador do time de quadribol, o mais famoso esporte dos bruxos e depara-se também com alguns obstáculos como Draco Malfoy e o professor Snape. Não podemos esquecer da amizade entre Harry e Hagrid, afinal, este último foi a pessoa que levou o menino até os tios e o levou até Hogwarts também.


Adorei a experiência de reler A Pedra Filosofal. Muitos detalhes eu já não me lembrava mais, contudo, percebi também alguns "furos" no enredo que quando criança não percebi e não são problemáticos, apenas marcam um primeiro livro essencialmente infanto-juvenil.
Outro detalhe que não me lembrava mais é o quanto Alvo Dumbledore é engraçado! Sério. O diretor de Hogwarts é simplesmente a personagem mais divertida desse livro e são dele as frases mais espirituosas e irreverentes. Melhor surpresa eveeeer. 
Não vejo a hora de começar a releitura do próximo volume porque Harry Potter é muito bom e J.K. Rowling escreve demais. =)

4 comentários:

  1. Que vontade de reler de novo XD Amo Harry Potter e sempre fico feliz de ver pessoas postando sobre ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, comigo é a mesma coisa, Dora!! *____*
      Melhor série EVEEEER

      Excluir
  2. Nossa, eu assisti ao filme semana passada, acredita? E foi maravilhoso relembrar o início dessa história depois de tanto tempo, a nostalgia que nós temos é incrível né?

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Cássia!!! Adoro esse primeiro filme de Harry Potter porque a adaptação é muito boa. =D E a nostalgia é incrível mesmo *___*

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger