.6 de maio de 2018

A Obscena Senhora D - Hilda Hilst


    Ouvi falar sobre Hilda Hilst, pela primeira, em um vídeo no canal TLT sobre esse livro especificamente e fiquei bem curiosa a respeito dessa autora de escrita tão visceral e completamente desconhecida para mim até os meus 20 anos. Demorou um pouco até ter contado com ela e é sobre uma de suas obras em prosa mais famosas que vamos conversar hoje. 
   Publicado em 1982, A Obscena Senhora D narra de forma não linear alguns momentos na vida da protagonista Hillé, apelidada pelo marido Ehud após perguntar-lhe diversas vezes o significado da palavra derrelição. Após a morte deste, ela, que já estava reclusa há anos e desenvolvera um comportamento bem excêntrico, fica cada vez pior deixando os vizinhos curiosos e fuxiqueiros com muito assunto ao apontar sua "loucura", mas tal como em O Alienista... Será ela louca, ou suas atitudes e questionamentos fora do padrão mostram uma verdadeira lucidez diante de toda a alienação e futilidade da vida comum?  
Personagem Delirium da hq Sandman que assemelha-se a
Hillé não pela aparência, mas por todos os questionamentos.
    Utilizando a técnica de fluxo de consciência e uma diversidade enorme de vozes intercaladas no texto sem qualquer tipo de pontuação, essa é uma obra que exige atenção por parte do leitor, pois cada linha traz uma surpresa diferente e a cada diálogo percebemos o quão diferentes e transcendentais são as dúvidas da protagonista e acabamos por compartilhar de sua desolação por nunca encontrar uma resposta e ter perdido a única pessoa a entendê-la, ou ao menos a tentar... 
  Em diversos momentos, vi muitas semelhanças entre os pensamentos da senhora D e da personagem Delirium de Neil Gaiman. Dá até para imaginar as falas de Hillé em balões coloridos com fontes bem diferentes. 
   Mais uma vez, saio de uma leitura mind blowing cheia de reflexões e sem certeza de nada! Estou adorando isso, porque me impele a pesquisar mais e sair da zona de conforto literária; Uma dessas reflexões/incertezas foi a possível crítica que a autora faz contra a falta de instrução das mulheres, não sei mesmo se ela colocou isso em seu texto, ou se eu inferi por causa desse momento no qual me encontro, mas é perceptível o incômodo de vermos a senhora D indo sempre ao marido para tirar-lhe as dúvidas e ao confrontar outras mulheres, perceber que elas não tem nada a dizer... Tendo em vista a data do livro e a idade de Hillé (sessenta anos), acho que essa teoria fica ainda mais verossímil, pois no começo do século XX as mulheres mostraram-se mais e mais questionadoras e ao mesmo tempo isso era totalmente repreendido pela sociedade e muitas continuaram na obscuridade. 
    Como vocês podem perceber, essa obra não narra uma história e geralmente não gosto muito de narrativas assim... Por exemplo, não gostei nada dos livros de Virgínia Woolf, porém, Hilda Hilst é frenética! Você não consegue parar de lê-la, mesmo que não esteja entendendo muita coisa hahaha sério, pretendo conhecer outras obras dela e recomendo a quem não tiver preguiça de sair da zona de conforto e queira ter reflexões desafiadoras sobre a vida, o universo e mais.  

26 comentários:

  1. MUITO interessante a temática, os pontos do enredo e a ilustração. Qualquer coisa que saia do clichẽ já merece atençao. Sinceramente, fiquei curioso. Parabéns e obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que bom que gostou da dica =D

      Excluir
  2. No último evento da intríseca que fui, falaram muito dela, e me deixaram curiosa, mas até agora não li nada, ao contrário de você. Que bom que você matou sua curiosidade e que foi uma experiência positiva, mesmo saindo de sua zona de conforto.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que legal!! Espero que leia um dia também =)

      Excluir
  3. Eu gosto muito dos videos do TLT pois geralmente são leituras que eu nunca fiz e que provavelmente irão me fazer sair da minha zona de conforto. Eu fiquei bem interessada também na obra da Hilda Hilst, acho que ela traz uns questionamentos bem legais e pertinentes. É com certeza, um tipo de livro que exige maior atenção! Adorei ler a sua opinião! Beijos!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo o que você disse, Dai!! A Tati dá ótimas dicas e a Hilda Hilst é uma autora que exige atenção mesmo. Obrigada pela visita! =)

      Excluir
  4. Oi, estou seguindo o blog. Gostei da leitura, parece ser muito bom! ;)

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
  5. Olha,fiquei muito curiosa. Principalmente por ser uma publicação antiga. Amei!

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura!! :)

    Enfim, eu também não me costumo afeiçoar a historias "não-histórias", mas ainda bem que desta vez foi diferente!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da escrita dessa autora, vou procurar ler outros livros dela =)

      Excluir
  7. Às vezes é bom sair da nossa zona de conforto, é uma possibilidade de expandir os horizontes e conhecer novas perspectivas. Fiquei curiosa com a autora, pelo que percebi ela tem uma narrativa bastante peculiar, o que a torna mais interessante.

    ResponderExcluir
  8. Oi Andrea! Não conheço a autora ou a história, mas sua resenha me deixou bem curiosa. Principalmente quando você falou que ela te trouxe reflexões e te tirando da sua zona de conforto. Gosto de livros que tocam nesses pontos para gente. Parabéns pela resenha. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, convido você a fazer essa leitura e depois me dizer o que achou =)
      Bjs e obrigada!

      Excluir
  9. Olá, tenho até vergonha de dizer isso, mas nunca li nada da Hilda Hilst. Parece ser uma história muito concisa, mesmo com o questionamento sobre o que é real. Os personagens parecem ser excelentes e a escrita dela muito rica.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa ter vergonha!! Uai! Se um dia você sentir vontade, leia, vai ser algo totalmente diferente de tudo o que você já leu =)

      Excluir
  10. Eu li sobre o fluxo de consciência em uma matéria da faculdade, fiquei um pouco confusa em relação a isso. Fiquei curiosa em ler esse livro maaassss... sem pontuação? Nadinha? Nem um pontinho final?? Uma virgulazinha??? kkkkk vai ser complicado ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha é difícil mesmo!! Se quiser ter contado com fluxo de consciência com pontuação recomendo autores como Virgínia Woolf, Falkner, José Saramago e Lygia Fagundes Telles (minha favorita)

      Excluir
  11. Fiquei morrendo de vontade de ler este livro e conhecer a obra da autora.. Parece trazer tantas reflexões, críticas e sem falar q gosto de ver como o cenário de alguns anos atrás eram e comparar com os de hoje! Dica anotada!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Espero que faça uma ótima leitura =D

      Excluir
  12. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia a autora e sua obra, mas pela sua resenha fiquei muito curiosa e louca para me aventurar na leitura. Adoro livros que me fazem questionar e principalmente sair da minha zona de conforto, normalmente são esses os que mais acrescentam em nossas vidas. Amei a sua resenha, parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou assim, Alice! Espero que goste da leitura =)

      Excluir
  13. Não conhecia mas o fato de falar que é uma leitura frenética, já me animou e deixou aquela curiosidade sadia de ler. Irei procurar. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Espero que leia e aproveite a leitura =)

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger