.21 de março de 2018

Anarquistas, graças a Deus - Zélia Gattai

     Sempre ouvi muitos elogios acerca da escrita de Zélia Gattai, até então, eu só conhecia e amava os livros de seu marido, Jorge Amado, mas os elogios foram tantos que resolvi ler sua obra mais comentada. 
Em Anarquistas, graças a Deus somos apresentados a infância e adolescência da autora que os viveu na São Paulo do começo do século XX, na Alameda Santos, próxima à famosa Avenida Paulista. 


   Zélia narra como sua família entendia o movimento anarquista de maneira ambígua, toda a bagunça e diversão de ter dois pais cabeças-duras, sendo eles: Ernesto Gattai, um "anarquista" convicto (menos em se tratando da educação das filhas), excelente mecânico e um dos primeiros pilotos de corridas automobilísticas; e Angelina Gattai, uma dona de casa bem desleixada que deixava a casa aos cuidados das filhas e empregada enquanto lia Victor Hugo e Zolà. Conhecemos também seus irmãos, amigos, vizinhos, clientes do pai, inimizades da mãe, sendo quase todos italianos animados, alegres, ou furiosos.
A representação da São Paulo do início do século XX é muito interessante, saber que lugares que hoje são repletos de condomínios e prédios comerciais eram antes chácaras ou residências simples de pessoas simples, é uma experiência diferente e saudosista apesar de não termos vivido isso, fica no ar esse gostinho de saudade. 
A Anarquia aqui, como deu para perceber, é retratada de maneira superficial e dúbia, justamente por tratar das vivências de uma criança/adolescente e por em nenhum momento ser dito que seus pais liam ou estudavam o movimento. Eles basicamente participavam de reuniões, tentavam ajudar refugiados e recortavam matérias jornalísticas sobre amigos deportados, talvez isso explique de certa forma o título da obra... 
As únicas coisas dissonantes nesse livro, uma de traço social e outra na composição, foram, respectivamente: o machismo presente entre os "anarquistas" e as pessoas em geral e a pouquíssima informação sobre o movimento feminista da época, pois a mãe de Zélia era contrária a ele dizendo não ser maltratada pelo marido, porém ele nunca a consultava quando decidia fazer algo que afetaria toda a família, e o tamanho dos capítulos, isso sendo algo muito particular, não consigo me prender a narrativas que tenham capítulos de uma ou duas páginas, logo, demorei muito a de fato "engatar" a leitura, mas quando isso aconteceu, ela voou
Apesar desses pequenos problemas,Anarquistas, graças a Deus é uma obra incrível, recomendo a todos que gostam de narrativas memorialistas, ou vividas por crianças em toda a sua inocência e melhor: ambientada em nosso país, em uma de nossas tantas realidades. 

32 comentários:

  1. Nunca li algum livro com esse teor, mas se for ler já sei por onde começar, obrigada.
    Acho interessante as muitas teorias sobre o movimento, e ao ler o seu comentário sobre esse livro, interessei-me por ele. Ah! Deixa-me falar sobre a capa também que também chamou minha atenção de tão linda que é.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, leia sim! Você vai adorar com certeza =)
      Bjs

      Excluir
  2. O livro é bem interessante, sempre gostei de história, e de saber mais sobre o anarquismo e nazismo.... vou procurar esse livro aki na minha cidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante sim, mas como ressaltei na resenha não é um livro que traga uma versão real do conceito de anarquia.

      Excluir
  3. Eu já li Anarquistas Graças a Deus e gostei muito! Gostei tanto que li de novo, rs. Realmente o clima saudosista é muito presente, para mim é um dos atrativos do livro. A família da Zélia é muito carismática, do jeito deles eram felizes. Houve há muitos anos a minissérie da Globo adaptada do livro, onde Ney Latorraca vivia Ernesto Gattai e acho que Débora Duarte a Angelina. Tb sou admiradora da obra de Jorge Amado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu também vou reler esse livro em breve!! Só amor pela escrita dessa autora. Não pude assistir a minissérie, mas vou tentar encontrá-la na internet =)
      Bjs

      Excluir
  4. Nossa, voltei ao passado com esse post! Li esse livro no finzinho dos anos 80 e adorei. A narrativa de Zélia Gattai instiga. Ela e Jorge Amado nos deixaram um legado em tanto, na literatura brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que legaaaal! Que bom que a resenha pode trazer uma lembrança boa para você *____*
      Concordo plenamente com o que disseste, Jorge Amado e Zélia Gattai nos deixaram um legado maravilhoso sobre nossa cultura *____*
      Bjs

      Excluir
  5. Oi!!
    A Zélia Gattai sempre arrasa ☺ este livro é muito bom.
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante esse livro parece render uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  7. Grande livro, Zélia Gattai é incrível! Adorei o post, abraços!!!

    ResponderExcluir
  8. Desconhecia o trabalho da autora e pretendo procurá-lo por aqui, certamente deve ser comercializado em Portugal. Fiquei atraída pelo contexto da obra, a descrição dela perante o seu contexto familiar e toda essa narração da convivência dela com isso. Gostei do título até! Fiquei muito interessada em ler! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, com certeza tem sim! Ela é uma grande autora da Língua Portuguesa. Vale a pena procurar e ler =D

      Excluir
  9. Cara que livro incrível. Já vai pra lista de desejos. Adorei a forma como expôs.

    Minha Vida Por Acaso


    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bem? Que dica mais interessante. Ainda não conhecia a autora mas achei a proposta bem interessante. Acredito que essa proposta de narrativa foi uma excelente escolha por parte da autora. Sua resenha ficou incrível. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigada!! Zélia Gattai foi mesmo uma autora genial =)
      Bjs

      Excluir
  11. Oi Andrea, tudo bem?

    Não conhecia esse livro, mas parece-me ser um excelente livro com um conteúdo importante e forte. Gosto de obras que narram o "passado" das cidades, pois assim temos outra visão de como era e o que ocorria. Fiquei bem interessada e irei procurar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiê!
      Espero que possa lê-lo então =)
      Bjs

      Excluir
  12. Eu já ouvi falar deste livro, é muito familiar mas é a primeira vez que leio resenha sobre ele. O conteúdo é bem impactante. Se eu tiver um tempo a mais quem sabe coloco ele na minha lista de leituras. Obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uaaaau, que bom ter apresentado a história dele a você =)
      Espero que leia e goste!

      Excluir
  13. Oi
    que legal o livro com certeza eu iria adorar ler,ele é bem interessante mesmo.

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia o livro, mas sua resenha me deixou curiosa. Muito interessante conhecer histórias diferentes e passadas no Brasil em outras épocas. Amei a dica. Bjss

    ResponderExcluir
  15. Ótima indicação e com um tema que eu gosto muito. História super interessante que me deixou curiosa com o final.

    ResponderExcluir
  16. Olá, já ouvi falar dessa obra mas gostei de conferir a resenha e saber melhor do que se trata. Ótima a sua resenha. É uma leitura que considerarei fazer por me interessar pela autora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada!! *___*
      Tenho certeza de que vai adorar essa leitura quando a fizer =)

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger