.27 de novembro de 2017

[SANDMAN] - Terra dos Sonhos e Estação das Brumas

Em Terra dos Sonhos teremos o primeiro arco de histórias paralelas, nas quais conheceremos mais acerca da mitologia criada por Gaiman. Compreendendo do capítulo 17 ao 20, cada um trará uma narrativa diversa tendo Sandman ou sua irmã a Morte como coadjuvantes.
Na primeira história, conhecemos Calíope, ex-amante de Morpheus e mãe de seu filho, musa da Literatura, foi aprisionada por um escritor sem criatividade durante décadas e precisa da ajuda de um perpétuo para ajudá-la visto que os deuses não têm mais poder... 
A segunda mostra os sonhos que alguns gatos têm de dominar o mundo, na quarta, a Morte ajuda uma metamorfa que não aceita sua condição, quer morrer, mas não consegue... 
Mas, a terceira narrativa, essa é a melhor de todas, pois vemos o resultado do pacto feito entre Shakespeare e Morpheus lá no segundo arco: a encenação da peça Sonho de Uma Noite de Verão,pela primeira vez, para Sandman e a corte das fadas, tendo como expectadores Titânia e Oberon. 
Todas as hqs são muito bonitas, contudo Calíope e essa são as melhores tanto visualmente quanto narrativamente. 
Agora, em Estação das Brumas voltaremos ao presente da narrativa de Sonho e agora, esse é o melhor arco de todos para mim até o momento. 
Tudo começa no capítulo 21, no qual conhecemos o irmão mais velho de Sandman: o Destino. Este tem o conhecimento de uma profecia pelas Parcas e decide convocar sua família para resolver a questão. Assim conhecemos quase todos os perpétuos, ou melhor, quase todos, porque um "abandonou" suas funções, são eles: Destino, Morte, Sonho, Desejo, Desespero e Delírio. 
Quando eles se encontram, percebemos que se assemelham muito a uma família numerosa comum, cheia de pecuinhas e após uma provocação de Desejo, Morpheus decide ir ao Inferno resgatar sua antiga amante, lembram? a Nada, condenada POR ELE ao sofrimento eterno só porque o rejeitou... 
Antes, porém, ele precisa preparar-se, já que Lúcifer ficara muito enervado com ele e jurara vingança, mas ao chegar lá, eis a surpresa: o Estrela da manhã decidiu "fechar" seu domínio e entregar a chave a Morpheus... 
A partir daí veremos a disputa entre deuses, demônios e outros seres pelo domínio do Inferno, enquanto isso Morpheus ainda precisa resgatar Nada... 
Como dito, para mim, até agora esse foi o arco mais rico até agora, repleto de reflexões e referências a várias mitologias, adorei cada capítulo do início ao fim, mas preciso dizer... Morpheus ainda é um BABACA.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger