.3 de abril de 2017

Inocência - Visconde de Taunay


Pode parecer engraçado, mas eu moro em um bairro no qual os nomes das ruas são em homenagem a grandes escritores da língua portuguesa e, claro, minha rua se chama Visconde de Taunay e,  como não poderia deixar de ser, um dia eu leria a obra mais conhecida desse autor. 
Inocência é um romance romântico de temática regionalista e da mesma forma que Til, de Alencar, apresenta a personagem título com características muito diferentes das moças dos grandes centros urbanos, sendo até mesmo um pouco santificada por suas qualidades "elevadas". 
A história começa quando o jovem farmacêutico Cirino encontra-se com Pereira, um senhor de terras da região (Mato Grosso do Sul) desesperado por causa da filha doente. O farmacêutico, passando-se por médico, consegue curar a moça e torna-se um convidado da família. 
Nesse meio tempo, surge um outro visitante, Dr. Meyer, naturalista alemão que veio ao Brasil caçar e estudar novas espécies de borboleta. Pereira desconfia deste por causa dos vários elogios dirigidos a Inocência, enquanto esta, na verdade, namorava Cirino escondido. 
Como esperado de um romance romântico veremos esse amor proibido ser colocado a prova pelos costumes e imposições sociais e morais da época, tendo um final triste, porém previsível. 
Infelizmente, não consegui me interessar pelas personagens e suas motivações, Inocência traz o mais do mesmo em se tratando da escola já citada, o que acaba sendo muito frustrante. 

11 comentários:

  1. Eu não conheço os escritos do Visconde, mas a julgar pela época em que foi escrito deve ser mesmo um romance "batido". Não deu pra saber muito da história, então, em um futuro (próximo, espero eu), posso experimentar a leitura para ver no que dá. Por enquanto, passarei a dica. Bj!

    ResponderExcluir
  2. Até que gostei dessa capa. Livros desse tipo não costumam me agradar muito nesse quesito. Eu não leria, infelizmente, ainda mais sabendo que os personagens não foram muito convincentes.

    ResponderExcluir
  3. Acho eu li esse livro séculos atrás pra escola épica do romantismo, nem lembro mais da história, mas lembro que pelo menos na época achei muito chato rs

    ResponderExcluir
  4. Nunca li livros desse autor, mas já fiquei interessada por ele ter características dos romances do José de Alencar. Cresci lendo Senhora, Iracema e tantos outros romances do Alencar. Acredito que por conta disso vou gostar bastante de Inocência.
    Abs, obg pela dica e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem???
    Tem uma escola do ensino fundamental aqui perto da minha casa com o nome deste autor rs... até hoje eu não tinha a dimensão do significado haha, valeu pelo menos como conhecimento cultural. Sinceramente não me interessei pela leitura, mas sei como os costume da época, podem trazer uma dor de cabeça desagradável. Xero!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Uma pena que para você o livro não tenha funcionado, cada leitor tem uma sensação diferente com a obra e ela nem sempre irá agradar a todos. Lembro que li esse livro na escola e gostei, pois o gênero sempre me agrada, mesmo sendo mais do mesmo e tendo um final bem previsível. No entanto, mesmo que você não tenha gostado, é uma obra que te permite ter de certa forma, uma bagagem literária.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Andrea!!
    Não conhecia a história, mas confesso que a capa nem me cativou kkkk triste não ter gostado da obra, mas acredito que a experiência mesmo que ruim é sempre válida!!

    Beijokas

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Adorei saber sobre os nomes das ruas da sua cidade! Na minha, pelo que sei, não há menção alguma.
    É uma pena que a obra mão tenha te agradado e já confesso que não fiquei interessada, mesmo porque esses livros parecem ter, sempre, a mesma ideia e trazer acontecimentos parecidos.
    Vou deixar passar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Amo Taunay e irei protegê-lo! Eu li na escola e foi um dos poucos clássicos que curti. Até seminário fiz sobre ele!

    ResponderExcluir
  10. Oi.

    Não conhecia esse autor ainda, mas essa obra dele parece ser muito boa. Bem legal esses nomes da sua cidade, por aqui, onde moro, não vejo muito isso. Vou anotar o nome do livro e tentar ler depois.

    ResponderExcluir
  11. Nossa, nem lembro mais dessas escolas, então nem consigo mais listar características do romantismo pra poder entender que o livro é mais do mesmo. Sei que já li, mas faz tanto tempo que não consigo nem lembrar o que achei do livro, pena que não funcionou bem pra você.

    ResponderExcluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger