.17 de fevereiro de 2017

Como transformar o Brasil em um país leitor?

Oi, pessoal! Hoje vamos falar um pouco a repeito da importância da leitura, principalmente, incentivar as crianças a esse hábito que tanto amamos. O texto é da Editora do Brasil. 


Como transformar o Brasil em um país leitor?
Acompanhe a seleção de livros infantojuvenis que separamos como referência para uma leitura prazerosa

A leitura tem sido uma atividade prazerosa para o brasileiro? De acordo com a 4ª edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope Inteligência, ainda se lê muito pouco no país. Apenas 56% dos entrevistados, em amostra que representa a população brasileira, são considerados leitores, ou seja, leram um livro inteiro ou em partes nos últimos três meses anteriores à pesquisa. Como mudar este cenário?

Pais e professores podem ajudar a reverter esta situação! A Retratos da Leitura aponta que o hábito de leitura dos pais tem forte influência na construção do hábito dos filhos. Dos respondentes, 33%, afirmam ter sofrido influência de alguém para começar a gostar de ler, sendo que deste total, 11% mencionam a mãe ou um responsável do sexo feminino como influenciador do gosto pela leitura; 7% dizem terem sido influenciados por um professor ou uma professora; e 4% dos entrevistados alegaram ainda que o pai ou o responsável do sexo masculino foi o influenciador. Entre aqueles que viam seus pais lendo também temos mais leitores que informam gostar de ler, o que reforça a importância desse exemplo no ambiente familiar.  É papel dos pais e da escola ajudar as crianças e jovens a enxergar o livro não apenas como uma obrigação escolar, mas como uma oportunidade de entretenimento e diversão.

Zoara Failla, coordenadora da pesquisa, declara: “Nossos jovens estão sofrendo uma exclusão perversa. Eles não sabem se gostam de ler porque não lhes foi oferecido esse cardápio. É preciso garantir a todos, por meio de políticas públicas, o direito ao acesso a livros de literatura de qualquer segmento, incluindo o juvenil, para que possam escolher o que ler. É preciso garantir, especialmente, o direito de compreender aquilo que leem. E lhes garantir o direito de experimentar. Que lhes sejam oferecidos espaços, encontros e práticas leitoras cativantes e mediadas. Que encontrem professores e bibliotecários, valorizados, capacitados e que gostem de ler literatura e de conquistar leitores, para que esses jovens brasileiros exerçam seu direito de serem despertados pelo prazer de ler”.

Para ajudar os pais e responsáveis a incentivar e proporcionar uma leitura prazerosa aos pequenos, selecionamos algumas obras infantojuvenis com belas histórias e encantadoras ilustrações da Editora do Brasil e da Editora Melhoramentos. Confira as sugestões:

Casa na Arvore
A Casa na árvore - Um novo vizinho se instala no Condomínio Bicharada e os moradores preparam uma festa de boas-vindas. Com esse mote, os autores promovem um divertido passeio pela fauna e flora brasileiras. E, no final, a obra traz também informações curiosas sobre árvores como Araucária, Ingazeiro, Ipê-rosa e Figueira. (Editora Melhoramentos)



Rainha dos EstapafurdiosA Rainha dos estapafúrdios - Ana é uma filhote de perdiz que deseja ardentemente ter uma plumagem tão bonita e colorida quanto a dos seus pais e irmãos mais velhos. Nessa busca, vê-se às voltas com predadores perigosos como uma hiena e um leão, no meio de uma savana africana. Mas, muito esperta e engenhosa, Ana dá um jeito de se safar se autoproclamando uma rainha. (Editora Melhoramentos)




Danite e o Leão - Danite estava muito feliz com seu recente casamento, mas não imaginava a dificuldade que teria para lidar com a resistência de seu enteado, Beshir. Buscando conselhos, ela recorre a um monge que lhe propõe uma tarefa em troca da ajuda: trazer-lhe três fios de bigode de um leão. Danite precisaria de muita paciência e sagacidade para realizar tal feito. E qual seria o conselho do monge para melhorar a relação entre ela e seu enteado? Valeria a pena se arriscar? Recriado pelas mãos premiadas de Rogério Andrade Barbosa e Ciça Fittipaldi, o conto africano deste livro revela uma cultura diferente aos leitores brasileiros e traz um ensinamento universal muito valioso sobre persistência e superação.(Editora do Brasil)




Fabulas de La Fontaine CapaFábulas de La Fontaine - Em um estilo ao mesmo tempo simples e refinado, as fábulas de La Fontaine são consideradas obras-primas da literatura francesa, encanta os adultos, com sua ironia e críticas à sociedade e ao poder, e seduz as crianças com seus protagonistas, em geral, animais falantes e pessoas engraçadas. Nesse livro, doze das mais famosas fábulas são adaptadas com maestria por Fernanda Lopes de Almeida, autora que renovou a literatura infantil nos anos 1970. (Editora Melhoramentos)




Igual ou diferente, depende do olhar da gente - Esta história narra como é o dia a dia de uma escola na floresta, que tem alunos de todos os tamanhos, pelos e plumagens. Uns mais pescoçudos como é o caso da ema; outros, narigudos, como o tamanduá; e até um visitante estrangeiro, o elefante! Com mais este título da coleção Letra e Cor, que aborda temas pertinentes ao universo infantil, a autora Ellen Pestili mostra como a vida é diversa e que, na escola, seja a da floresta deste livro ou a da realidade, é possível conviver e respeitar as diferenças. (Editora do Brasil)


Josefina quer porque quer ser bailarina - Seus pais a matriculam nas aulas de balé, mas nada de a menina aprender a dançar. E nem adianta trocar a escola de dança, Josefina não quer fazer as atividades propostas, muito menos acompanhar a turma. Então por que Josefina continua querendo ser bailarina? Uma história sobre o que somos e queremos ser, ainda que seja apenas imaginação.  (Editora do Brasil)


Meninas - Ziraldo

Meninas é o segundo título de Ziraldo que mergulha no universo das garotas e foi inspirado em Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. (O primeiro foi Menina das Estrelas, lançado em 2007). Dessa vez, ele tenta explicar essa fase mágica da vida das garotas, que vai dos 7 aos 11 anos.  Na obra, as ilustrações de Ziraldo são coloridas por Renato Aroeira.(Editora Melhoramentos)



http://cpanel0114.hospedagemdesites.ws/~editoradobrasil/wp-content/uploads/9788510054881-2ye3sh418j4rlbea4361hm.jpg
O anel que tu me deste, da autora Neusa Sorrenti, conta a história de Letícia, a menina Lelé, que é bastante agitada e chama atenção por onde passa. Mas nada se compara à confusão que ela apronta quando chega seu aniversário. Convida muitas pessoas e seus pais acabam sendo os responsáveis por dar conta de toda essa gente. São muitos os presentes, mas um em especial a deixa extremamente curiosa: um belo anel. Quem será que lhe deu esse presente? Lelé, agora mais ajuizada, conseguirá desvendar esse mistério? (Editora do Brasil)



http://cpanel0114.hospedagemdesites.ws/~editoradobrasil/wp-content/uploads/O-plano-de-Celeste-32agy27nw3vudx4ftyojre.jpg
O plano de Celeste – Em uma nova aventura, a espevitada Celeste se vê diante de outro problema, mas dessa vez ela utiliza sua criatividade e perspicácia para enfrentá-lo de uma maneira diferente: com seu caderninho de anotações e muita imaginação, ela inventará um super plano. Quer saber qual? Nesta história, Telma Guimarães traz novamente a cativante personagem Celeste e suas artimanhas para abordar a importância dos livros e dos espaços destinados a eles. (Editora do Brasil)




Os Piolhos da princesa - A vida de uma princesa não é nada fácil, cheia de regras e poucos amigos. Ao tentar mudar sua rotina, a pequena e solitária princesa deste livro encontra uma forma muito inusitada de se divertir: ter piolhos. Mas eles não são nada agradáveis, como disseram a rainha e o rei. Para atender às exigências de sua alteza, mandar fabricar piolhos de ouro parece perfeito! Por meio de uma linguagem simbólica, complementada pelas belas e coloridas ilustrações da autora, esta divertida história leva os leitores a uma reflexão sobre criatividade, individualismo e consumismo, convivência em grupo e amizade. (Editora do Brasil)




nova capa_Ulisses e a Odisseia Capa.jpg
Ulisses e a odisseia em versos de cordel - As aventuras do herói grego que enfrenta monstros, bruxas e gigantes no caminho de volta para Ítaca, sua terra natal, são recontadas por Mauricio de Sousa e Fábio Sombra em versos de cordel e belas ilustrações. E, no final do livro, há ainda um pouco mais sobre Homero e sua obra Odisseia, que narra a história de Ulisses. (Editora Melhoramentos)




Sobre o Instituto Pró-Livro: Instituto Pró-Livro (IPL), foi criado no final de 2006 pelas entidades do livro – Abrelivros, CBL e SNEL, com o objetivo principal de fomento à leitura e à difusão do livro. Iniciou suas atividades em 2007. Atualmente é  mantido pelas entidades fundadoras e contribuições voluntarias de editoras.  As entidades do livro, representando a cadeia produtiva, fundaram o Instituto Pró-Livro assumindo o compromisso de responsabilidade social junto a representantes do governo e sociedade civil, para a promoção de ações de fomento à leitura, orientado pela missão de transformar o Brasil em um país de leitores. O IPL realiza periodicamente a pesquisa Retratos da Leitura do Brasil, maior e mais completo estudo sobre o comportamento do leitor brasileiro, para avaliar impactos, orientar políticas públicas do livro e da leitura, promover a reflexão e estudos sobre os hábitos de leitura do brasileiro e, desta forma, melhorar os indicadores de leitura e o acesso ao livro. www.prolivro.org.br

Sobre a Editora do Brasil: Fundada em 1943, a Editora do Brasil atua há mais de 70 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infanto-juvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual da Editora Brasil (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou nas lojas físicas de São Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ e Natal-RN.

Sobre a Editora MelhoramentosHá 125 anos a Editora Melhoramentos ocupa posição de destaque nas diversas áreas em que atua. É referência no mercado editorial com milhares de títulos publicados. À frente de seu tempo desde a fundação, ela se distingue pelo pioneirismo de suas obras, pelos autores e avanços editoriais aos quais se dedica. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual: www.editoramelhoramentos.com.br

12 comentários:

  1. Não conhecia o Instituto Pró-Livro! Achei muito interessante e assim como o texto diz que a maioria dos leitores vem de influencias de pais e tal, acho que precisamos arrumar mais meios para incentivar, talvez as escolas e o governo precise gerar uma alternativa que proporcione mais estímulos a leitura.. ações com conteúdos relevantes, que mostrem que ler é tão prazeroso quanto assistir uma série no netflix ou ver uma televisão jogado no sofá.
    Não conheço quase nenhuma das indicações mas fiquei interessada com algumas. :)

    ResponderExcluir
  2. Eu fico bem triste em ver que a maioria dos brasileiros não lê e isso é mega preocupante, porque a leitura nos transforma em vários sentidos. Nos ajuda a ter opinião, a ter um vocabulário melhor, aumenta nossa criatividade... Enfim, você entendeu, kkk.

    Como citado no texto, eu super concordo com isso: “Nossos jovens estão sofrendo uma exclusão perversa. Eles não sabem se gostam de ler porque não lhes foi oferecido esse cardápio [...]".

    Creio que seja um dos graves problemas, porque não há estimulo, sabe?

    Eu gostei muito dessa sua iniciativa de criar um post desse. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante a ideia do Instituto Pró-livro.

    "Nossos jovens estão sofrendo uma exclusão perversa. Eles não sabem se gostam de ler porque não lhes foi oferecido esse cardápio"
    Juro que me aperta o coração saber disso.

    De qualquer forma, obrigada por compartilhar o texto! Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    É triste e preocupante saber que a leitura é tão ignorada pelos jovens hoje, ainda mais por conhecer os inúmeros benefícios e prazeres que um bom livro é capaz de proporcionar. Acho que essa baixa quantidade de leitores tem grande relação com a pouca atenção que a educação vem recebendo a anos, por isso é tão grande a importância da criança ser influenciada a ler desde pequena, principalmente em casa. A leitura é também um hábito e se quisermos que ele faça parte da vida de alguém é necessário inventivar essa pessoa a praticar esse hábito constantemente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Sempre acreditei nisso, e por gostar de ler, a influência sobre meus filhos foi automática. Também tenho o cuidado de deixar livros perto deles, ou qualquer tipo de leitura que possa agrada-los. Gostei das dicas dá editora.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Andrea, amei o texto.
    Me identifiquei muito com ele porque como professora eu tento MUITO fazer com que meus alunos tenham prazer com a literatura, mas é bem difícil.

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Sou professora e sei da importância das dificuldades, são sempre grandes, às vezes, até entre nossos colegas professores que tentam boicotar qualquer projeto no âmbito da leitura, enfim... sobre a motivação, é sempre importante conhecer o público que se almeja trabalhar com literatura, dessa forma, o resultado pode ser satisfatório.

    ResponderExcluir
  8. Acredito que um dia veremos nosso país como um país de leitores e não como o país do carnaval, do funk e do futebol.

    ResponderExcluir
  9. Acredito que um dia essas coisas irão mudar e mais pessoas voltarão e iniciarão a ler, creio que como nós blogueiros trazendo uma mala cheia de influência.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  10. Muito bacana essa postagem. E, motivadora! Principalmente quando se trata de incentivo a leitura. Gostei das dicas de livros trazidas. E, sim. A leitura é um hábito que precisa ser praticado desde cedo. Desse jeito tudo vai mudar.
    Beijos, Amanda M.

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Adorei as dicas dadas, afinal nossa leituras devem começar desde a infância, mas confesso que o sistema público e o sistema imposto de leitura dado nas escolas, afastam as crianças de lerem. Ler Dom Casmurro, Iracema aos 12/13 anos de idade quando muitos não vem de NENHUMA leitura na vida é cruel e desanimador. Conheço muitas pessoas que poderiam ser leitores hoje, mas o trauma não deixa. Enfim são coisas para refletir. Ótimo post!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi. Sempre digo para o meu noivo que quando tivermos filhos, vou ler para eles ainda na minha barriga kkkk Tem que ter esse incentivo desde pequenos, com livros infantis, não só por parte dos professores, mas também dos pais, mesmo que eles não leem. Comecei a ler por vontade própria, não com os livros indicados pelos professores na escola. Não suportava aqueles livro que eram indicados por eles, apesar de serem muito importantes para a literatura nacional, alguns eu considero muito chatos. Mas enfim, adorei o post!

    ResponderExcluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger