.25 de novembro de 2016

Bem Me Quer, Mal Me Quer...


Como a grande maioria das coisas que acontecem em minha vida, não sei muito bem quando, ou de que maneira encontrei essa produção, mas o fato é que Bem Me Quer, Mal Me Quer conseguiu me surpreender e me fazer refletir demais, algo que prezo muito. 
Agora, pergunto: em algum momento de sua vida você já admirou muito alguém? Uma admiração que o levou a pensar nessa pessoa horas e horas a fio, ou a imaginar como seria sua vida ao lado dela, a criar expectativas, ou a fazer loucuras em nome dela?  Pois bem, a protagonista desse filme, com certeza, responderia sim a todas as perguntas... 
Angelique (Audrey Tautou) é uma jovem francesa estudante de Artes que vive um romance tórrido e proibido com o medico cardiologista Loic. Os amigos da moça tentam "salvá-la" desse relacionamento abusivo no qual ela é sempre deixada em segundo plano, pois Loic é casado e sua esposa está grávida. 
Essa história é dividida em duas partes com duas perspectivas diferentes: na primeira, acompanhamos as atitudes de Angelique e tudo aquilo que ela passou por causa de sua paixão, na segunda, vemos tudo do ponto de vista do médico, algo que sobressalta o espectador, porque todo o "romance" apresentado pela moça não passou de mera ilusão arquitetada pela mesma que, a cada dia, fica mais e mais obcecada por Loic e faz verdadeiras monstruosidades para ficar com ele, sendo que o pobre homem nem sabe de sua existência... 
Vale lembrar também o desespero de Loic ao receber presentes e mensagens muito intimas de uma pessoa desconhecida. É bizarra a forma como Angelique idealizou tudo e como acredita piamente que viveu de fato uma história de amor com ele. 
O final, por causa de toda a tensão ao longo do filme, é impactante, mas depois de um tempo percebemos que é até um pouco clichê, o que não foi um problema para mim, pois o enredo é muito bem organizado e a instabilidade emocional da protagonista, aliada a sua determinação já nos dava indícios de um desfecho nada simplista... 
Enfim, Bem Me Quer, Mal Me Quer, a primeira vista, pode parecer uma produção boba e facilmente confundida com mais um filme romântico, porém, tenho certeza de que ele vai te tirar o sono por algumas noites como aconteceu comigo...

16 comentários:

  1. Olá!
    Já fiquei interessada pelo que filme fez com vc, te tirou o sono e te fez refletir, coisa que também prezo muito.
    Será que acho na Netflix?
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Olha, como filme é antigo não sei se está disponível na Netflix, eu, por exemplo, vi pelo Youtube mesmo.
      Bjss espero que goste!

      Excluir
  2. Não conhecia o filme, mas você citou dois fatores que eu gosto de ver, reflexão e tensão em saber o que vai vim. Adoro estes ingredientes em filmes
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, esse filme engana bem viu! Você começa pensando ser uma história romântica e do nada está num thriller!
      Bjss

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Nossa iniciei a leitura da sua resenha pensando " nossa mas um romance" e terminei " Poxa preciso assistir esse filme". Parabéns pela resenha e obrigada pela dica. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Faby! Obrigada!
      Olha, quando assisti a esse filme tive a mesma impressão! É bem impactante porque tudo acontece muito de repente, você não espera que a protagonista tenha determinadas ações! Muito bom!
      Bjss

      Excluir
  4. Que coisa mais linda esse filme, ainda não tive oportunidade de assistir, mas agora com a sua postagem anotei a dica.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Noussa! Eu achei esse filme incrível, principalmente a última cena... concordo que ele faz pensar bastante sobre egoismo e obsessão.
    Parabéns pelo post, lindinha... traduziu direitinho o que eu senti vendo o filme =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, também amei!! Esse filme é demais!!
      Que bom que também gostou! ^^
      Bjss

      Excluir
  6. Não conhecia esse filme, mas a premissa dele é ótima!!!! \o/
    Como assim ela idealizou tudo? Aliás existe um nome para isso né? É um transtorno bastante perigoso.

    Beijinhos e até logo! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda!
      Então, não quis dar spoilers, mas o nome dessa doença é "erotomania". E sim, é justamente isso que nos deixa muito perturbados ao terminar o filme...
      Bjss

      Excluir
  7. Andrea, não conhecia o filme.
    Mas como boa apaixonada por romances já fiquei mega curiosa e louca para saber o porquê da inquietação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Déborah!!
      Assista e depois me diga o que achou!
      =)

      Excluir
  8. Olá. Não conhecia o filme e acho que o título combina com o enredo.
    É bem estranho o que a protagonista faz e me deixou interessada em saber como será o final, pena que é clichê, mas acho que vale a pena conferir.
    Adorei sua resenha e a dica já está anotada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Que bom que gostou!! ^^
      Olha, as vezes, o que é clichê para mim pode não ser para você, então, com certeza, será uma experiência válida.

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger