.18 de outubro de 2016

3 contos de Bram Stoker


No ano passado, finalmente, eu li a obra Drácula de Bram Stoker, adorei, achei tanto a construção da narrativa quanto da maioria das personagens muito interessantes e, esse ano, eu simplesmente precisava ler mais alguma coisa desse autor. Por sorte encontrei esses três pequenos contos, mas já digo de antemão que apesar da escrita formidável, eles não suscitam nem um terço do imaginário que o grande clássico do terror nos dá, o que pode frustrar um pouco o leitor desavisado. 

Em O Hóspede de Drácula, conto que mais me interessava, veremos, ao que parece, uma parte da viagem do jovem Jonathan antes de adentrar o território do Leste Europeu e que não constava no romance. Porque eu digo aparentemente? Porque o narrador não se identifica, mas tem as mesmas características do intrépido inglês e ainda recebe uma correspondência de quem? Pois é, do conde mais famoso da literatura. Nessa história, nosso narrador está passando alguns dias em Munique e decide passear um pouco, só que ele o faz no Dia de Santa Valburga (também conhecido no paganismo como Beltane) que para os alemães é uma dia perigoso e até semelhante ao Dia de Todos os Santos, mas o rapaz não se importa com essas crendices populares, afinal, ele é um inglês racional e inteligente, por esse motivo ele abandona a carruagem onde estava e vai passear por um caminho ermo que leva a uma pequena aldeia abandonada onde, dizem, existiram pessoas que morreram e se levantaram de suas tumbas... 

A Casa do Juiz, passa-se na Inglaterra mesmo e narra alguns acontecimentos bem macabros que se sucederam com um jovem estudante que precisando dedicar-se aos estudos, decide alugar uma casa em uma pequena aldeia no interior, no entanto, a propriedade fora de um juiz maléfico que sentia grande prazer em enforcar as pessoas condenadas por ele... 
E por fim, o último e mais sem graça dos contos, A Pele-Vermelha nos apresenta um casal em lua de mel que faz amizade com um norte-americano também em uma cidade alemã - Nuremberg - e tudo estava muito bem até que o moço mata sem querer o filhote de uma gata preta e esta passa a persegui-lo até ter, quem sabe, sua vingança... O nome do conto é pele-vermelha porque esse norte-americano vai contar um caso que presenciou em sua pátria de uma nativa que perdeu o filho pelas mãos de um homem branco e não descansou até torturá-lo bastante antes de matá-lo... 


Como dito no início do post, o único conto que verdadeiramente me chamou a atenção foi o primeiro e isso porque já li Drácula e estava muito ansiosa para conhecer mais da história, já os outros dois são bem fraquinhos e previsíveis e mexem com superstições que não fazem mais sentido para o leitor atual. 

6 comentários:

  1. Que imagens darklindas rs
    Pena que nem todos os contos são tão bons, mas adorei a sua resenha.
    Beijos,
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      São mesmo né! *____*
      Ah, o único que gostei foi o que dá título ao livro mesmo.
      Bjss e obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Que da hora! Não sou fã do gênero, mas gostei de suas dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecy!
      Que pena que não gosta, mas no final só o primeiro conto é realmente bom. Recomendo que você leia Drácula, de verdade, leia! =)
      Bjss

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger