.26 de novembro de 2015

A Colina Escarlate



Olá, pessoal! No inicio do mês, eu pretendia falar apenas dos livros que estou lendo, mas acabei sucumbindo a curiosidade e assisti ao novo filme do Del Toro e, obviamente, não aguentei e preciso falar o que achei dessa produção! Eu sei que para aqueles que já viram o filme ou entraram em canais no youtube para ver os vídeos-resenha sobre ele, vão achar o que tenho a dizer muito repetitivo, só que não dá, gente! A decepção foi muito grande! 
Primeiro, minha saga com esse filme começou com o fato de ele não ter chegado a zona Lost de Sampa, para assisti-lo tínhamos de nos descolar ou para a região do Centro, ou para a zona Sul, o que já se mostrou um grande transtorno. Mas tá, assisti ao filme, cheia de expectativas, afinal os trailers e teasers vendiam a produção como sendo algo macabro, do gênero terror... e é um filme do Del Toro, né! É claro que que estava super ansiosa, por apreciar mais essa obra, algo que só aumentou a minha decepção, principalmente, porque uma amiga minha assistiu uma semana antes de mim e disse que o filme era ótimo, excelente, magnífico... E quando o mesmo acabou, me senti uma alienígena por não pensar do mesmo jeito... 
Você deve estar se perguntando: -  Mas Andréa o que esse filme tem de mais? ou de menos? Então, eu acreditei nos trailers e pensei que encontraria um roteiro repleto de fantasmas aterrorizantes e cenas incríveis, cheias de efeitos que me causassem pavor, sério, eu até estava com receio de ver o filme! O problema é que não é isso que nós vemos ao longo das duas horas de A colina Escarlate! O que nós vemos é simplesmente uma novela vitoriana em forma adaptada para o cinema, com alguns efeitos especiais do século 21, mas a mocinha está lá, o sobrenatural que instiga, mas não pode fazer muito mal porque é da mocinha que estamos falando, está lá, você tem os "amigos" que tentam a todo custo salvar a mocinha, você tem a personagem macabra que inveja a mesma, enfim, é praticamente Drácula, como os meninos do canal OMELETV deixaram implícito, só que sem o vampirão. 
Ai você pergunta: - E os fantasmas? Pois é, os fantasmas... os fantasmas são ridículos! Ai gente, por favor não tinha nada mais apelativo, não? Eu poderia ter relido Drácula e estaria tudo muito bem, ao invés de ver uma produção que sim, é muito bela, tem uma fotografia, soturna, sombria e muito linda, um figurino impecável, uma mansão que é muito bem feita e ouso dizer que a melhor coisa do filme inteiro, entretanto, se a gente quisesse ver esse tipo de coisa poderíamos pesquisar no google: roupas vitorianas, casas mal assombradas do período vitoriano, logo, o que importava mesmo era o roteiro do filme e esse, infelizmente, é muito falho, chato e extrema e irritantemente previsível. Por isso, se você gosta de sentar no numa sala de cinema só para ver imagens bonitas, legal, assista ao filme, se não... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger