.7 de outubro de 2015

Contos de Edgar Allan Poe

Olá, pessoal! Continuando a nossa saga literária do mês de Outubro, trago três contos do mestre do horror e do fantástico, sendo eles: A máscara da morte Rubra, O retrato oval e Eleonora. Ao longo desse mês farei outro ou outros posts com contos desse autor tão caro para a literatura mundial. Então, vamos começar!! 

A máscara da morte rubra 

Eu já disse em outro post que esse é o meu conto favorito do Poe e claro que ele não poderia deixar de estar aqui! 

[...] "E o ilimitado poder da Treva, da Ruína e da 'Morte Rubra' dominou tudo." 

A Morte Rubra é uma praga que mata em poucos minutos e uma cidade é assolada por ela, mas o
príncipe que deveria olhar por seu povo, simplesmente abandona tudo e segue com seu séquito para um castelo afastado do restante do mundo, e principalmente, da praga. Lá, ele oferece, enquanto o povo morre de maneira pavorosa, grandes bailes, divertindo os súbitos escolhidos, mas por quanto tempo?
Eu adoro esse conto porque ele tem descrições fantásticas que te transportam para a atmosfera gótica da narrativa, o jogo de cores das diversas salas do castelo, somadas à confusão que se imagina ser um baile de máscaras, dá um aspecto onírico à obra que nos fascina ainda mais! Sem falar que temos aqui, o soar da meia noite, tão presente nos contos de Poe e de outros autores do século XIX, tudo o que é macabro acontece à meia noite, fiquem espertos! 

O retrato Oval


Um cavalheiro e seu criado encontram uma belíssima casa abandonada. Eles decidem pernoitar por lá e o cavalheiro, no meio da noite, depara-se com um quadro, em moldura oval, de uma moça. Nada demais, se não fosse pela vivacidade do retrato que parece estar vivo.... 
Mais um conto que eu adoro! Esse, li pela primeira vez quando era bem novinha e achei incrível! Confesso que essa temática de pessoas que ficam presas em espelhos ou em quadros sempre me assustou, desde quando assisti "Convenção das bruxas" pela primeira vez! kkkkk

Eleonora 

 “A morte de uma bela mulher é, inquestionavelmente, o tema mais poético do mundo e, igualmente, a boca mais capaz de desenvolver tal tema é a de um amante despojado de seu amor.” 

- Poe, Filosofia da Composição.


Um narrador desconhecido nos conta sua breve estória de amor com Eleonora no Vale das Relvas Multicores. Ele começa dizendo que pode ou não estar louco, algo que já nos transporta para o caráter onírico da narrativa, não nos dando muita certeza se realmente existiu uma Eleonora e se ela ainda está próxima do narrador mesmo depois de morta...
Mais um conto com narrador desconhecido, gente, Poe gostava muito de fazer isso. Sem falar que aqui ele apresenta sua  temática mais querida: um homem à beira da loucura relatando seu amor por uma mulher que não está mais entre nós! Fantástico! Literalmente...

Então, é isso gente! Espero que tenham gostado e me digam quais contos ou poemas do Poe vocês já leram! 

bjxx


2 comentários:

  1. UAI , PORQUE NAO COLOCA A HISTORIA INTEIRA ??
    AGORA VAI FICAR BEM DIFÍCIL EU FAZER MEU TRABALHO , MAS Valeu ai pelomenos ajudou um poquinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk Obrigada pelo comentário! Desculpe, mas não coloco a história inteira porque tem muita gente que reclama de spoiler... =/ bjxx que bom que ajudei!

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger