.16 de julho de 2015

Trilogia Grisha - Leigh Bardugo

Olá, queridos!! Hoje vou falar da trilogia que eu li em tempo record! Foram quatro dias leitura, dois para o primeiro livro, um para o segundo e um para o terceiro! Não sei explicar, mas eu simplesmente me apaixonei por essa história e fiquei muito triste quando ela acabou...

Antes de falar sobre a trilogia é importante que vocês saibam que a autora, Leigh Bardugo, fez uma pesquisa enorme sobre os contos de fadas do folclore eslavo para tirar daí suas ideias para criar o mundo dos Grishas, logo, o livro é ambientado em um mundo no qual nós temos conhecimento de apenas três países e um deles "Ravka", é o país onde vivem as personagens principais da história e onde vão desenrolar-se a grande maioria das aventuras dela, esse país, pela disposição geográfica, pela cultura (língua, religião, culinária etc) é facilmente uma alegoria da Rússia Imperial, mas esse livro é alegórico apenas no que tange a família real, a religiosidade das pessoas e os pensamentos da população, salvo esses elementos, não teremos aqui nenhuma revolução socialista, apesar de termos uma revolução, no entanto esta não modificará para o melhor a vida da população, como pregou a Revolução Russa, ela tentará colocar os Grishas no poder... E agora, nós vamos a sinopse comentada de cada um dos livros:  ATENÇÃO! ESSE POST CONTÉM EVENTUAIS SPOILERS!!


Alina é uma cartógrafa, franzina, frágil e adoentada. Ela vive em Ravka e faz parte do primeiro exército, o exército das pessoas comuns ( a linha de frente, sabe? Os que morrem primeiro...) No inicio do livro nós somos apresentados ao grande dilema da vida dela: atravessar a "Dobra das Sombras", também chamada de "O Não Mar", essa faixa de escuridão divide a parte norte do país e sua costa marítima, desse modo, Ravka tornou-se muito pobre porque as pessoas temem entrar na dobra, visto que esta é habitada por seres monstruosos que comem pessoas, os chamados "Volkas", sabendo disso, podemos perceber o desespero de Alina, que aos 19 anos não quer morrer devorada por nenhum monstro. Nossa protagonista possui um melhor amigo, Maly, um rapaz órfão como ela, mas que em aparência é seu completo oposto, ele é o favorito das mulheres e é claro, que é o de Alina também. 
A ação propriamente dita, começa quando o exército entra na dobra e ao receber um ataque dos volkas, milagrosamente os monstros são afugentados por uma luz que emana diretamente de Alina, esta não entende nada, visto que apenas os Grishas (pessoas que nascem com o dom de controlar elementos da natureza) possuem qualquer tipo de poder e estes são descobertos na infância, mas a nossa protagonista descobre ser uma grisha e uma das mais poderosas, pois ela pode conjurar a Luz, tal como o Darkling (líder dos grishas) pode conjurar as Sombras, logo, ele une-se a Alina para que juntos eles consigam destruir a dobra e restaurar o poderio de Ravka, para isso eles precisarão de três amplificadores (ossos de algum animal morto por um grisha, que ampliam o poder do mesmo), sendo o primeiro, o do Cervo Branco, no entanto, uma traição pode mudar tudo...


No segundo livro, seguimos Alina em posse do primeiro amplificador e Maly que conseguiram escapar da morte, no entanto o Dakling ainda está em no encalço deles, ele pretende encontrar o segundo amplificador, a Serpente Marinha, para transformar Alina em sua escrava e conseguir definitivamente o trono de Ravka. Nesse livro, vemos nossa protagonista ganhando cada vez mais o status de "santa" e vemos também o amor de Alina e seu melhor amigo Maly florescer e murchar em medidas nada equilibradas... E mais uma vez as trevas dominam tudo...










Último livro da trilogia, Alina começa sua narrativa escondida no subsolo, visto que o Dakling destruiu tudo aquilo que ela conhecia, no entanto, nossa heroína parte em busca dO Pássaro de Fogo, que ela acredita ser o último e mais poderoso amplificador de todos os tempos. Seu relacionamento com Maly anda de mal a pior, as intrigas e desconfianças só aumentam, mas o nosso maior problema é de que, quando se trata de lendas, algumas delas podem ou não serem verdadeiras e outras são tão reais que tornam-se dolorosamente impossíveis de se acreditar...

Excelente história! Adorei cada página, cada referência à cultura russa  (que eu tanto admiro), sem falar na construção da própria narrativa que apesar de ter elementos que me fizeram lembrar de Avatar - a lenda de Aang, mostraram-se totalmente originais e muito além de minhas expectativas!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger