.18 de setembro de 2011

LIVROS, LIVROS E MAIS LIVROS!


HILDA FURACÃO E DIAS & DIAS...


Finalmente meus queridos, a biblioteca da escola reabriu! Viva! No entanto, eu preciso dizer que me decepcionei com o estado do lugar! Está tudo bagunçado, as prateleiras desorganizadas, os livros jogados e espalhados pelo chão! Uma situação lastimável. Sem falar nas coleções de Agatha Christie que por algum motivo, que eu desconheço, sumiram de lá! Afe! Esperei tanto tempo pra entrar lá, e quando entro encontro isso! Decepcionante...
Ainda assim, em meio s tanta desordem e falta de bibliotecária, ( é a situação da escola está periclitante...) eu consegui encontrar dois livros que me chamaram muito a atenção, o primeiro foi por causa de uma famosa série de televisão, e o segundo, confesso, foi por causa da capa! Que por sinal, é linda! *-*
Mas, vamos aos livros:

HILDA FURACÃO

A narrativa vai do inicio ao fim com o mistério: “ Por que a garota do maiô dourado, que poderia casar com qualquer milionário, deixou tudo para se tornar musa sexual dos homens de Belo Horizonte?!”
Se você se interessou por esse mistério, já lhe deixo de sobre aviso: o narrador não o desvenda, nem sequer chega perto de descobrir alguma coisa, (o que me foi extremamente frustrante, porque sou muito curiosa!). Mas, se ainda assim você quiser respostas... Eu sugiro que assista o primeiro episódio da série no youtube, ela supre todas as dúvidas e deixa a história um pouco mais clara e convincente.
Hilda Furacão se passa na Belo Horizonte do final dos anos 50, sendo que, além de Hilda, temos como personagens principais: Roberto, um jornalista comunista e também, nosso narrador. Aramel – O Belo, que sonha em ser galã em Hollywood, mas só consegue ser Dom Juan de aluguel. E, Malthus – O Santo, que tem como desafio de sua vida a personagem título.
Eu gostei desse livro, mesmo ele tendo tudo o que eu abomino em uma narrativa: enrolação e mistérios não tão bons que não são resolvidos, porque o autor mostra de forma bem singular a vida das personagens e todos os motivos que as levaram a chegar a seu determinado fim, as formas como os fatos nos são apresentados tem um jeitinho bem mineirinho sabe? Como se, ao invés de estamos lendo o livro, o próprio narrador nos contasse ele, como numa conversa, e isso até um certo ponto faz com que esqueçamos a falta de um “final” para a história.


DIAS & DIAS

Ah! Esse livro é de uma sensibilidade fora do comum!!
Como eu disse anteriormente, eu o peguei emprestado pela capa, que é linda! Mas, quando eu comecei a lê-lo percebi o quão bonita era sua narrativa!
A história fala, do ponto de vista de sua admiradora Feliciana, a vida do poeta Gonçalves Dias. Na verdade, Feliciana é a nossa protagonista e Antonio ( Gonçalves Dias) é apenas a sua paixão platônica, que não permite a ela ter uma vida de verdade.
O mais legal e perturbador neste livro é a realidade do cotidiano das personagens daquela época. Enquanto Antonio sai de casa ainda criança para estudar e ganhar o mundo, Feliciana passa toda a sua vida trancada dentro de casa, apenas imaginando como seria viver livre. Outro detalhe interessante é a forma de amar que cada um deles tem. Feliciana por vezes esconde-se dentro de seu amor e fecha-se cegamente para o mundo, ainda que limitado, que está ao seu redor, Antonio joga-se em festas e luxúrias das noites na Corte, para esquecer uma decepção amorosa.
Bem, como na maioria das vezes eu me surpreendi! Fiquei triste com seu final, fiquei triste mesmo, acho que que todas as pessoas merecem uma chance de serem felizes... Não quero fazer spoilers nem nada, mas... Eu fiquei triste ao ler o epílogo! Mesmo assim esse é um livro que além de ter uma linda capa, tem uma história ainda mais bonita que vale muito a pena ser lida!

Então é isso meus queridos! Espero que tenham gostado! Demorei um pouco para postar por conta de alguns trabalhos da escola, mas logo, logo, postarei alguma coisa sobre filmes trash!


Beijinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger