.9 de abril de 2019

[FILME] - Mademoiselle Vingança


Desde que me tornei assinante da Netflix de novo, tenho assistido algumas produções muito legais por lá, Mademoiselle Vingança foi uma delas. Infelizmente, o streaming não é dos melhores do quesito variedade, pelo menos não com trabalhos externos, mas não podemos negar que o catálogo de séries e filmes feitos pela Netflix é ótimo, por isso, mesmo sem saber nada a respeito da produção, decidi dar-lhe uma chance e não me arrependi. 
A marquesa de la Pomeraye e o marquês de Arcis.
Mademoiselle Vingança, ou no original, Mademoiselle de Joncquières é um drama francês, dirigido e roteirizado por Emmanuel Mouret e produzido em parceria com a visionária Netflix. O longa começa de maneira bem semelhante à As Relações Perigosas, pois, é ambientado na França do século XVIII, em um período anterior à Revolução Francesa, logo, temos o retrato de uma nobreza ociosa e mesquinha, cheia de vícios e adoradora de escândalos que possam movimentar suas vivinhas insípidas (nossa! que crítica... calma, minha filha...).
Na primeira cena, somos apresentamos a Marquesa de la Pomeraye, uma mulher muito bela e jovem que decide passar uma temporada no campo após a recente morte de seu marido; listando todas as "vitimas" já conquistadas pelo Marquês de Arcis, um homem famoso por seduzir mulheres conhecidas por seu recato, e depois abandoná-las após cansar-se delas, levando muitas a beira da loucura. No começo, ela é bem determinada em esquivar-se dele, contudo, sabe aquele ditado? "Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura?" Pois bem... o marquês insiste tanto, mas tanto que consegue alcançar o coração de la Pomeraye.
A marquesa em desespero após se abandonada.
Como não poderia deixar de ser, eles iniciam um romance, porém, após alguns meses, de Arcis passa a tratar a parceira com indiferença; ela já conhecedora de sua fama, decide lançar um ardil: diz-lhe estar desesperada porque não o ama mais e não sabe o que fazer; ele, para sua surpresa, diz que também se sente assim, eles se separam em dualidade: o marquês pensa ter encontrado uma mulher notável que agora será sua amiga; la Pomeraye fica com o coração partido e completamente humilhada por ter-se deixado enganar por ele.  
Transtornada, ela arquiteta um plano de vingança que terá como personagem central a bela jovem arruinada Mademoiselle de Joncquière que, por ser uma bastarda, precisou prostituir-se para sobreviver e agora participa do esquema de la Pomeraye a fim de ter uma vida honrada com o dinheiro que receberá. 

A marquesa sendo apresentada a mademoiselle de Joncquière

Mademoiselle Vingança traz, em sua protagonista, um certo "quê" feminista, pois la Pomeraye mostra-se ávida em ensinar uma lição ao marquês que representa todos os homens de sua índole, entretanto, ela perde pontos por continuar apaixonada pelo canalha. 
Ademais, o reforço à competição entre mulheres jovens e maduras. Com o tempo, la Pomeraye passa a ver Joncquière não como uma "aliada", ou "peão", mas sim como rival, podendo trazer com sua vingança mais desastres do que a moça já havia suportado... 
Outro ponto digno de nota é a trilha sonora de  Mademoiselle Vingança, um espetáculo a mais representado por Bach, Bizet, Vivaldi entre outros compositores famosos e brilhantes da música clássica. 

O marquês pedindo conselhos a amiga para conquistar Joncquière.

Em suma, para quem gosta de narrativas ambientadas no século XVIII e tramas repletas de intrigas e desfechos ambíguos tal qual a já referida Relações Perigosas, com certeza, Mademoiselle Vingança é uma excelente escolha de entretenimento para uma tarde de domingo. 

.6 de abril de 2019

O ancião que saiu pela janela e desapareceu - Jonas Jonasson



No dia de seu aniversário de cem anos, o sueco Alan Karlsson decide jogar tudo às favas e pula pela janela da casa de repouso onde vive para pegar de volta sua liberdade, é assim que começa a história de O ancião que saiu pela janela e desapareceu.  Ele só não imaginava que essa ação desencadearia uma série de outras dignas de uma verdadeira odisseia, só que muito mais divertidas de se acompanhar, Homero que nos desculpe a sinceridade... 
O ancião que saiu pela janela e desapareceu é classificado em sua ficha catalográfica meramente como um "romance", contudo, é notória sua semelhança estrutural com as obras Forrest Gump e As Aventuras do Bom Soldado Svejk (já resenhadas por aqui) que é possível classificá-lo também como uma novela satírica tal qual seus antecessores. A narrativa também tem muitas características que beiram o realismo-maravilhoso, pois a forma como Alan Karlsson consegue escapar dos problemas e sua vitalidade em seus mais de cem anos não é algo que se vê todos os dias por ai, porém, tudo isso é tratado de maneira bem natural ao longo do texto, como se fosse tudo comum, até prosaico. 
Por tratar-se de um livro que propõe nos contar o passado nada ortodoxo de seu protagonista, a narrativa trabalha com o tempo cronológico, no qual Alan foge do asilo e acaba sendo perseguido por uma gangue de mafiosos, deixando um grande rastro de sangue e de muita confusão por onde passa; e o tempo psicológico, narrando suas aventuras anteriores, desde o nascimento e infância incomuns na Suécia, até sua ajuda em todos os grandes conflitos mundiais do século XX, tendo participação até na criação da bomba atômica, para vocês terem uma ideia... 
A narração de mais de cem anos de História não seria nada fácil de se acompanhar se não fosse pelo narrador em terceira pessoa irreverente e muito bem humorado, cheio de ironias e tiradas sarcásticas que nos fazem rir e pensar no quão absurda é a vida de Alan, mas, sinceramente, coerência não é a palavra de ordem nesse livro! 
Leitura mais do que recomendada para todos os amantes de História e de boas gargalhadas, O ancião que saiu pela janela e desapareceu é, com certeza, mais um ótimo exemplo de que a literatura sueca tem muito a nos oferecer, desde o terror (vide Deixa Ela Entrar) quanto no humor e na crítica social.

Fica a dica! =D 

.30 de março de 2019

Submissão,de Michel Houellebecq: um livro que divide opiniões

Capa do livro Submissão - Michel Houellebcq

Finalmente. Esta foi a primeira palavra que pensei após o término de Submissão, do autor Michel Houellebcq. Sem sombra de dúvidas, esta foi uma leitura muito cansativa e bem superestimada, motivos pelos quais demorei mais de um mês para completá-la.
Submissão traz em sua trama um "e se" peculiar, mas possível: "e se a França se tornasse um país muçulmano?" É a partir deste questionamento que tem início a história escrita por Michel Houellebcq.
François é o nosso protagonista e narrador, um acadêmico de meia-idade solitário, individualista e bem machista, chegando a ter um certo discurso misógino. Todo o enredo gira em torno dele e de suas impressões acerca dos acontecimentos, o que acaba empobrecendo a narrativa per se, pois não podemos de forma nenhuma confiar no que ele diz, além de seus pensamentos e reflexões serem bem tendenciosos e imprecisos.
Sabendo disso, você já deve ter entendido a frustração mostrada no começo desse texto. Isso porque há nesse futuro próximo (2022) uma situação política extrema e arriscada na França: Direita e Esquerda já fizeram muita coisa errada, por isso surge a Fraternidade Muçulmana com seu líder carismático, Mohammed Ben Abbes, para "salvar" a pátria e "melhorar" a vida das pessoas, contudo, isso não será feito de fato e mulheres e judeus serão os maiores prejudicados nesse novo sistema de governo e, infelizmente, NÓS NÃO VEMOS O PONTO DE VISTA DESTAS PESSOAS, essas informações chegam até nós por François, um homem branco, hétero, francês e elegível para tornar-se parte do novo "regime" sendo-lhe oferecida uma esposa adolescente e seu emprego de volta na universidade ganhando o dobro, ou seja, para ele, a opressão do governo muçulmano baseado na Sharia (leis islâmicas) não traz nenhum impacto negativo em sua vida, na verdade, até a "melhora". 
Ademais, outro ponto muito negativo em Submissão é a forma como François objetifica as mulheres. Ele sempre tem um comentário depreciativo sobre o gênero e fala muito, muito sobre sexo! O cara só pensa nisso o tempo todo! Parece que a vida dele gira em torno do sexo, o que é bem cansativo de ler, justamente, porque ele só procura as mulheres para isso. Quando ele não faz sexo com elas, as deprecia de alguma forma, ele sempre insinua que mulheres só servem para isso mesmo... Ou seja, é uma narrativa bem difícil de acompanhar...  
Enfim, embarquei nessa leitura com uma expectativa alta e acabei bem decepcionada. Não consigo recomendar esse livro. Acredito que quem se interessa por distopias, mais especificamente, as relacionadas a questões religiosas, talvez tenha uma experiência melhor com o Conto da Aia, ainda não o li, mas só vejo elogios, quanto a Submissão, melhor passar longe... 

.15 de março de 2019

[EU ASSISTI] – Grimm – Primeira Temporada

Capa da série Grimm

Notória é a influência dos irmãos Grimm para a literatura infanto-juvenil, contudo, você já parou para imaginar se as criaturas retratadas em seus famosos “contos de fadas” existissem de fato e oferecessem um perigo real para todos? Pois o trio Stephen Carpenter, Jim Kouf e David Greenwalt sim, e no dia 28 de outubro de 2011 foi exibido nos E.U.A. O primeiro episódio de Grimm.
Nick Burkhardt é um investigador da polícia de Portland, apesar do trabalho estressante, tem uma vida boa e estável ao lado da namorada, Juliette Silverton, mas tudo muda quando ele começa a ver criaturas estranhas e uma delas tenta matar sua tia, não antes dela revelar-lhe seu segredo: ele é um Grimm.
Os Grimm, desde tempos imemoriáveis, caçam criaturas bestiais denominadas de “wesen”. Muitas delas adoram comer carne humana e de outros seres também, o que é um grande problema, porém nem todas são assim, muitas delas são bem pacíficas e só querem viver suas vidas tranquilamente. Os antepassados de Nick, no entanto, não acreditavam nisso e exterminavam-nas como se fossem pragas, independente de serem ou não perigosas.

Resultado de imagem para grimm primeira temporada gif
Nosso protagonista

Por ser um policial, nosso protagonista tem um modus operandis completamente diferente. Ele percebe as nuances de caráter dos wesen, bem semelhantes as nossas próprias, e até torna-se amigo de alguns deles, sendo o mais proeminente de todos, o blutbat (“lobo-mau”), Monroe.

Imagem relacionada
Monroe, nosso "lobo não tão mau assim". 
A organização do enredo de Grimm é bem simples e semelhante a várias outras séries do gênero: a cada episódio conhecemos o “monstro da semana”, Nick e seu parceiro Hank resolvem crimes que sempre tem algum wesen envolvido, levando o primeiro a pedir a ajuda de Monroe. Eles resolvem o caso e não encontramos mais as personagens que participaram dele. Esse seria o enredo secundário, pois o principal envolve uma conspiração em níveis mundiais...
A trama principal relaciona-se com o fato da família de Nick possuir um mapa para uma relíquia encontrada pelos Grimm durante as Cruzadas. As Famílias Reais (sim, os monarcas) estão interessadas nessa relíquia e sabem existirem sete pedaços desse mapa, elas já tem quatro, o quinto está com Nick, por isso elas enviam constantemente “ceifadores” para matá-lo e roubá-lo. Há também, um príncipe bastardo infiltrado em Portland que pretende, em benefício próprio, controlar todos os passos de nosso Grimm...
Além de tudo isso, nosso protagonista ainda precisa desvencilhar-se das perguntas do amigo e parceiro, Hank, e de sua namorada, Juliette. Ele vive em um impasse: não pode abandonar tudo, e ao mesmo tempo não pode continar mantendo segredo, entretanto, se contar, também estará colocando as vidas deles em risco... É mesmo um grande paradoxo que pode, ou não, ser solucionado nessa temporada...

Resultado de imagem para grimm primeira temporada gif
Hexenbiest - uma das criaturas que dará muito trabalho ao Nick
É interessante como todos os vinte e dois episódios iniciam com alguma frase retirada de contos de fadas e logo em seguida já presenciamos o crime a ser desvendado. Ademais, a cada novo acontecimento, descobrimos mais a respeito do mundo dos wesen, sempre através de Monroe, ou dos livros deixados pela tia de Nick, nos quais seus antepassados escreveram sobre as criaturas e como as derrotaram.
As personagens principais da série interagem muito bem entre si e têm uma boa dinâmica, todavia é enervante ver como, no começo, Nick só procurava Monroe para ajudá-lo nos casos, não importando se o momento era inconveniente para o blutbat.
O recurso de cliffhanger utilizado no último episódio da temporada, mesmo sendo clichê, cumpre sua função de deixar o espectador curioso para acompanhar o desenvolvimento da história a seguir. Tendo tudo isso em vista, se você gosta de fantasia, inovações nos tão conhecidos contos de fadas e suspense, com certeza vai apreciar bastante a série Grimm.

Resultado de imagem para grimm primeira temporada gif

.3 de março de 2019

[ANIMA] – SheRa e As Princesas do Poder

Resultado de imagem para SheRa e As Princesas do Poder gif

O ano era 1985. Tancredo Neves vencia a presidência da República, Ayrton Senna vencia sua primeira Fórumula 1 e SheRa lutava contra o mal pela primeira vez. Em 2018, a sempre visionária Netflix lançou o reboot na animação anterior, em parceria com a Dream Works Animation, nascia assim SheRa e As Princesas do Poder.
Adora é uma jovem cadete órfã, criada no coração da Horda. Ela é uma das promessas do tirano Hordak e de sua segunda em comando, a feiticeira Sombria, contudo, Adora tem uma melhor amiga problemática, Felina. Por causa dela, nossa protagonista sai do território da Horda, entra na Floresta dos Sussurros, território inimigo, e depara-se com uma espada mágica que a transforma em SheRa, a princesa do poder. Esse fato a faz conhecer a verdade sobre a Horda e sobre a Rebelião da rainha de Lua Clara e de sua filha Cintilante.
Todas essas informações, aliadas a descoberta de SheRa, deixam Adora muito confusa, porém ela vê toda a destruição causada pela Horda e se une à Rebelião de Lua Clara. A partir disso, Cintilante, seu amigo, Arqueiro e Adora viajam por Ethérea tentando reunir a Aliança da Princesa. A cada episódio conhecemos uma princesa nova e vemos os laços de amizade entre eles crescendo, ao mesmo tempo, a amizade entre Adora e Felina vai minguando.
Há muita diversidade e empoderamento feminino na animação, algo deveras interessante e inspirador de se ver! A falta da personagem He-Man só reforça isso e dá ainda mais credibilidade e confiança a SheRa como única protetora de Ethérea.
Mais uma produção acertada da Netflix, SheRa e As Princesas do Poder tem apenas uma temporada de treze episódios de vinte e quatro minutos até agora, ou seja, é uma animação perfeita para maratonar nesse feriadão e com certeza vale muito a pena ser apreciada por todos.


.27 de fevereiro de 2019

[EU ASSISTI] – Gilmore Girls – Quarta Temporada


    A quarta temporada de Gilmore Girls me fez ter um misto de emoções: adoro participar da vida de Lorelai e Rory Gilmore, MAS algumas atitudes delas e de outras personagens me deixaram enervada demais...
    Nessa temporada, Rory vai para Yale, o que deixa seus avós muito felizes, contudo a mudança é brusca e complicada para a garota e está fica indo a Stars Hollow o tempo todo para se aconselhar com a mãe. Em uma dessas visitas, ela descobre que Dean vai se casar! Não há nenhum sinal de Jesse, nem de qualquer romance na faculdade... Sua vida acadêmica, por outro lado, vai muito bem. Ela tem alguns problemas, óbvio, porém continua sendo brilhante e já estagia no jornal de Yale.
    Lorelai também terá um ano intenso! Após o incêndio no hotel onde trabalhava, ela e sua amiga, a chef Sookie, decidem abrir sua própria pousada, entretanto, elas não têm dinheiro e precisam fazer dois empréstimos para alcançar seus objetivos.

Aqui faço minha crítica: ambas sonharam com esse momento por quinze anos e nunca pensaram em poupar dinheiro?! Fala sério! As duas ganhando bem e vivendo confortavelmente? Achei bizarro terem de começar um negócio se enchendo de dívidas.

    As vidas amorosas de mãe e filha é que não vão lá muito bem... Lorelai até arranja um namorado, só que, como sempre, acontece um evento de força maior e ele terminam. Já Rory, melhor nem comentar...
    É preciso enaltecer aqui uma personagem importante nessa temporada, a melhor amiga de Rory: Lane. Essa menina foi reprimida pela mãe fanática religiosa a vida inteira, mas nessa temporada, ela vira o jogo e se torna uma mulher independente! Melhor personagem EVER! O modo como Lane enfrenta a mãe e luta por seus sonhos é louvável e muito justo, afinal, ela só quer viver em paz, poxa.
   Agora, uma relação que é horrível de presenciar é a de Lorelai com os pais. Chega a ser insuportável ver a interação entre eles, é muito tóxico! Eles se alfinetam o tempo todo! Essas brigas podem ser gatilhos para pessoas que estejam em uma situação semelhante com os pais.
   Afinal, o que achei dessa quarta temporada de Gilmore Girls? Gostei. Dessa vez, todavia, com algumas ressalvas... A série mudou de tom, o que é positivo, mudar é bom, só não gosto de ver minhas personagens favoritas sofrendo e se perdendo... Logo, já vou emendar a próxima temporada para ver como tudo vai se desenrolar!

.6 de fevereiro de 2019

Respondendo a Tag: Verão Book Tag

Olá, pessoas! No ano passado, o Respondendo a Tag bombou aqui no blog e foi muito legal, pois consegui responder umas onze tags, o que foi ótimo. Adoro mesmo fazer e ler esse tipo de postagem porque sempre encontro alguma dica, ou lembro de uma leitura há muito esquecida... Dessa vez, vamos responder a Verão Book Tag. Encontrei-a no blog Meu Amor Pelos Livros achei a proposta super válida, e apesar de estar um pouquinho atrasada, ainda é verão, então, vamos às respostas: 

1 - Praia, piscina e sorvete: um livro com todos os elementos que você gosta



Fiquei em dúvida entre duas obras, mas vou colocar aqui a que me veio primeiro a cabeça: Estudos Sobre Veneno. Esse livro tem tudo o que eu gosto: fantasia, trama política, uma pitada de romance e uma personagem feminina incrível!

2 - 40º graus: um livro que te fez passar mal



Nem foi preciso pensar muito... Sem sombra de dúvidas, o livro que mais me fez passar mal foi Jantar Secreto. Sabia que se tratava deu ma narrativa sobre canibalismo, contudo, não esperava pelo que está nessa história...

3 - Férias: um livro que merece ser lido nas férias



Essa foi difícil... Acho que qualquer livro infanto-juvenil seja ótimo de se ler nas férias, inclusive, Harry Potter e O Cálice de Fogo é perfeito!

4 - Adeus ano velho, feliz ano novo: um livro que você precisa ler antes que o verão acabe e um livro para começar o outono com o pé direito



O livro que eu quero muito, muito ler antes do Verão acabar é O Bosque das Ilusões Perdidas. Estou muito curiosa para conhecer essa história. Já o livro que pretendo ler no começo do outono é, na verdade, uma releitura: A Senhora da Magia, primeiro da série As Brumas de Avalon.

5 - Amor de Verão: uma história de amor que acontece no Verão ou por um curto período

Resultado de imagem para summer love gif

Nossa, gente... Na moral, não me lembro mesmo de uma narrativa na qual ocorra um "amor de verão", pelo menos não que eu tenha lido.

6 - Carnaval: um livro que merece ser lido em um feriadão



Leitura recente e super recomendada: Os Pilares da Terra. É um calhamaço, sim! A escrita de Ken Follett, porém, é tão envolvente que dá para ler em um feriadão. =D

7 - Indique um livro que você acha que combina com o Verão

Resultado de imagem para o vitral encantado

Não sei por que, mas ao ler essa frase só consegui me lembrar de O Vitral Encantado... Sério, se você nunca leu nada da autora Diana Wynne Jones, esse é um ótimo exemplar para conhecer e se apaixonar por sua escrita!

Então é isso, gente! Espero que tenham gostado das dicas! =)
© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger